empty-classroom

O que é e o que motiva a evasão de alunos?

A evasão de alunos é com certeza o fator que mais preocupa as instituições de ensino brasileiras, por ser uma questão de sobrevivência para as mesmas. Evasão significa menos alunos, o que significa menos receita, o que prejudica qualquer negócio.

Evasão se refere ao abandono definitivo do aluno de um curso ou do sistema de educacional, antes da conclusão dos estudos. Segundo Oscar Hipólito, vice-presidente acadêmico da Laureate Brasil, a média da evasão nas IES brasileiras em 2015 ficou entre  21 a 22% ao ano.

A evasão de alunos pode ser classificada em três tipos distintos:

Evasão de curso – quando o aluno abandona o curso. Nesse caso o aluno pode ter desistido da matéria ou o curso pode ter sido encerrado pela própria instituição, o que ocasiona a transferência de curso dentro da mesma instituição.

Evasão da instituição – quando o aluno decide continuar seus estudos em uma outra instituição de ensino.

Evasão do sistema – quando o aluno abandona os estudos temporária ou definitivamente, sem que haja a transferência para qualquer outra instituição de ensino.

Até então parece simples entender o contexto da evasão de alunos, mas as coisas complicam quando levamos em consideração o motivo do abandono dos estudos. Existem várias razões para um aluno optar por descontinuar seus estudos, e identificar estas razões pode tornar-se complexo, porém indispensável para evitar que essa situação se repita com demais estudantes. Complexo, pois cada aluno possui suas individualidades, necessidades específicas e expectativas em relação aos estudos e ao ambiente acadêmico.

Alguns dos motivos pelo qual estudantes evadem são:

Falta de motivação para dar continuidade ao curso

Existem vários motivos para um aluno se sentir desmotivado a completar seus estudos, mas o que acreditamos ser mais predominante, é a falta de engajamento em atividades acadêmicas que os mostre o diferencial do ambiente e do modelo de ensino da universidade em que está inserido em comparação ao de outras instituições.

Felizmente, o uso de novas tecnologias na educação tem ampliado as possibilidades de interação entre alunos, professores e a instituição, criando uma experiência de aprendizado muito mais colaborativa e interativa para todos, consequentemente, aumentando o engajamento.

A utilização da gamificação no aprendizado auxilia o engajamento do aluno, pois torna o conteúdo de estudo mais divertido e atraente.

Dificuldade no acompanhamento do conteúdo oferecido no curso

Como mencionado anteriormente, cada aluno tem suas individualidades e necessidades específicas, não apenas físicas, mas psicológicas e comportamentais também. Hoje em dia tem se falado muito de adaptação do ensino e do ambiente educacional para as necessidades dos alunos, mas o que muitos levam em consideração são somente os alunos com necessidades físicas ou mentais.

Muitos alunos têm necessidades muito pontuais que precisam de atenção, mas estas não se classificam como necessidade “especial”. Por exemplo, um aluno que iniciou os estudos mas não utiliza grande parte dos recursos disponíveis pela universidade por não entender o valor gerado à sua carreira acadêmica. Estes dois alunos precisam de atenção por parte dos gestores educacionais, pois apresentam características comportamentais que indicam um alto risco de evasão.

Descoberta do desinteresse pela área de estudo e falta de conhecimento do mercado de trabalho

Não são poucos os estudantes que ao final de sua carreira acadêmica, já passaram por inúmeros cursos, os clássicos: “eu não sei o que eu quero.” Esse troca troca de cursos pode parecer indecisão, mas muitos alunos sabem exatamente o que querem, porém não entendem qual curso lhes ajudará a chegar onde desejam e exercer a carreira que aspiram. Esta falta de informação e orientação vocacional, contribuíram para 49% da evasão de alunos no ensino superior em 2014. (Brasil.gov)

Alguns alunos também desistem do seu curso por não acreditar que sua área de estudo lhe trará o retorno financeiro desejado. Essa impressão muitas vezes surge de seu ciclo de relacionamentos. É muito comum escutar este tipo de comentário sobre os cursos de Educação Física, Administração, Publicidade e Propaganda, etc. O fato é que todas as áreas de estudo podem guiar o aluno à uma carreira de sucesso, só depende do esforço realizado pelo estudante e da motivação e informação que recebem durante seus estudos. É essencial que os professores além de conteúdo acadêmico, também forneçam informações sobre o ambiente profissional aos estudantes.

Currículo do curso desatualizado

Muitas vezes o currículo estipulado para os cursos acaba tornando-se desatualizado. O mercado de trabalho vêm sofrendo inúmeras transformações, e para que os alunos sintam-se preparados para encarar a vida profissional é necessário que recebam uma educação alinhada com as atividades que terão que realizar na sua carreira futura. Além disso, é necessário que os alunos tenham opções de disciplinas variadas no currículo, pois dentro de cada área de estudo existem opções diversas de carreiras a seguir que exigem diferentes habilidades e conhecimento. Aqui mais uma vez, percebe-se a importância de conhecer de perto as necessidades de cada aluno.

Desempenho acadêmico insatisfatório (as notas não são suficientes para o aluno ser aprovado nas disciplinas)

Muitas vezes o desempenho insatisfatório do aluno nos estudos pode não significar falta de empenho ou pouca inteligência, mas sim falta de acesso à conteúdos extras de estudo ou até mesmo ferramentas mais adequadas para a realização das atividades requisitadas pelo professor.

Falta de atenção dos professores

Infelizmente, após muitos anos de atuação na mesma área e mesma instituição, muitos professores acabam não se empenhando para desenvolver uma relação mais próxima com os alunos. Esta falta de motivação por parte dos professores também se deve ao grande número de alunos por disciplina, pois esse excesso torna mais difícil a personalização do ensino e o acompanhamento do desenvolvimento de cada um.

Quando falta motivação nos profissionais influentes, é quase impossível despertar interesse nos alunos. Mas os professores não são os únicos responsáveis por essa desmotivação, e sim todos os gestores educacionais. É necessário que haja uma supervisão e um acompanhamento não só dos alunos, mas no desempenho dos professores também, para que estes recebam os incentivos necessários para desempenhar suas funções com paixão e orgulho.

Dificuldade na adaptação ao sistema universitário

Todos nós passamos por inúmeras situações de imersão em ambientes e contextos desconhecidos no decorrer da nossa vida. Seja esse um novo ambiente cultural, profissional ou até mesmo familiar. A partir do momento que nos deparamos com a necessidade de nos relacionar com novas pessoas, percebemos que a adaptação de comportamento e mentalidade é essencial. No ambiente educacional não é diferente. Cada novo aluno que inicia em uma nova instituição de ensino passa por um período de adaptação, seja ele um calouro ou mesmo um aluno originário de outra instituição de ensino.

Para que o aluno sinta-se confortável nesse novo ambiente, é necessária toda uma preparação da instituição para receber este aluno. Porém, muitas instituições de ensino hoje em dia não oferecem apoio para que os estudantes se adaptem ao novo ambiente.

Dificuldade para acompanhar o curso devido à falta de recursos financeiros

Com toda a crise financeira que estamos enfrentando no país bem como com a redução no FIES, os estudantes vêm enfrentando muitos obstáculos para ingressar no ensino superior. E quando ingressam, muitos passam por dificuldades financeiras que ocasionam o abandono prematuro dos estudos.

Dificuldade para conciliar o horário das aulas com as atividades profissionais

Com essa necessidade de uma verba maior para o pagamento dos estudos e até mesmo o sustento da família, estudantes buscam por ocupação profissional, o que muitas vezes acaba entrando em conflito com o tempo disponível para se dedicarem ao seu sucesso acadêmico.

Como podemos ver, existem inúmeros motivos que ocasionam a evasão de alunos. Entretanto,  essa situação pode ser melhor atacada se as instituições de ensino investirem na melhoria dos processos de gestão, focando em conhecer mais de perto seus alunos e fazer melhorias no ambiente educacional.

A boa notícia é que muitas instituições já vem trabalhando nestas melhorias através da utilização de soluções de análise preditiva, que detectam de forma antecipada quais alunos estão apresentando comportamento que indique risco de evasão, possibilitando que seus gestores educacionais sejam mais eficientes nas suas ações de retenção.

Ad Prisma-01

Para saber mais sobre como estas soluções e a análise de dados auxiliam no combate a evasão de alunos, acesse nosso ebook sobre o assunto.

Ebook: Análise de Dados aplicados à retenção de alunos

Siga nosso Blog e mídias sociais para ficar sabendo quando lançarmos outros posts do seu interesse.

Fonte: Congresso Usp

_________________________________________________________________________

Faiga Fialho Schmidt
Marketing Team
faiga.schmidt@bravi.com.br
Veja o perfil completo